O mercado imobiliário canadense para imigrantes

Morar no Canadá é o sonho de muitas pessoas. O país está entre os 10 lugares com melhor qualidade de vida para se viver no mundo. Por isso, muitas pessoas que vão passar um tempo por lá, acabam ficando. 

Os imigrantes que estão em terras canadenses e têm planos de comprar um imóvel precisam de muita pesquisa e organização, já que muitos deles levam um tempo para se estabelecer morando fora e, por isso, não se deve ter pressa para a aquisição de propriedade imobiliária. Uma vez que o processo de compra da casa própria no Canadá é diferente do brasileiro, tenha paciência e pesquise muito antes de iniciar o processo.  

O processo

A primeira diferença entre os processos de compra de imóveis são os profissionais envolvidos. No Canadá a equipe é composta pelo corretor de imóveis (realtor), por um advogado da área (real state lawyer) e a instituição que financiará a casa.

O primeiro passo é procurar o corretor de imóvel que te ajudará a achar a casa que atenda as suas vontades e te ajudar durante todo o processo de negociação e financiamento.

Depois de escolher o imóvel desejado, começam as negociações. Normalmente, nessa fase do processo, é necessário fazer uma oferta pelo imóvel. Às vezes há mais de um interessado e, por isso, é comum enviar um valor em cheque para demonstrar seu interesse pela casa. Caso sua proposta seja recusada, o dinheiro volta para você, já que ele fica em uma conta segura e não na conta do vendedor.

Quando sua oferta pelo imóvel for aceita, é hora de se preocupar com o financiamento. Essa etapa pode ser feita por algum banco ou pelo próprio corretor (Mortgage Broker), que é pago pela instituição financeira e, por não ter ligação com o banco, pode conseguir melhores condições de financiamento. 

O financiamento

Os imigrantes podem comprar e financiar uma casa no Canadá, mas apenas aqueles que são residentes permanentes. Para aquele que já deram entrada no processo para se tornar um residente permanente e tem as documentações exigidas para o visto, o processo do financiamento fica mais fácil.

Ter um emprego fixo e uma boa história de crédito durante o último ano também são pontos necessários para conseguir um financiamento, além de ter 5% do valor total para dar de entrada e entre 2% e 3% para despesas legais. Se você está chegando agora e tem entre 25% e 35% do valor do imóvel em mão, você também consegue a ajuda do banco ou do corretor. Nessa etapa, é preciso ter um comprovante do valor que será pago de entrada no imóvel.

Independente da sua situação, é necessário ter uma reserva de dinheiro para a entrada e para gastos administrativos. É importante também, se atentar às leis de cada província, pois algumas questões legais variam de local para local.

No meio tempo entre o aceite da proposta e o término da compra, é o momento de procurar um inspetor para fazer uma vistoria na casa, procurar um seguro residencial, e conversar com um advogado sobre a documentação do imóvel.

Para encarar esse processo alguns documentos são necessários. Separe dois documentos de identificação, como, por exemplo, uma carta de habilitação e um Social Insurance Number. Também são necessários comprovantes de rendimento e de aplicações e investimentos, se você tiver, e a Job Letter, com o nome e endereço do atual empregador.

Quando a sua documentação e a do imóvel passarem pelo advogado e forem aprovadas, você já pode pegar a chave da sua nova casa própria.

Créditos

Autora: Alexia Carrara
Revisão: Carolina Cadinelli e Dann Owczarzak

Data:28/11/2019